Todos os artigos de Fit Man Motivation

Hello, my name is not Fit Man Motivation, but I live to spread it around. I am now a blogger living in Portugal. If there is new stuff about food, fitness and running, I must provide you that. Find also things about travel and M´s.

Caminho Português de Santiago

O (meu) Caminho de Santiago

Passou um mês desde que fiz o meu Caminho…

Percorrer o Caminho de Santiago era algo que sempre tinha pensado fazer, mas sem aquela devoção, aquela fé que marca tantos peregrinos. Eu queria ir por mim, queria que esta fosse uma viagem (tipo daquelas…) de introspeção, autoconhecimento, que me permitisse recuperar o foco. Bem sei que o poderia fazer descansadinho num hotel, num spa, mas queria experimentar a magia do Caminho de que tanta gente falava e eu não compreendia. Agora percebo, assim como vocês vão entender no final deste texto…

Partimos a 04 de agosto e terminamos no dia 07 – fui com um amigo que de um dia para o outro alinhou nesta aventura sem pensar duas vezes. Aproveitamos o facto de termos uns dias de férias para os quais não tínhamos quaisquer planos e decidimos preparar tudo para percorrer o Caminho.

O que levei?

No que aos materiais diz respeito, aí sim, obrigou-me a uma maior logística: comprei um saco cama, uma mochila da Harschel (não, não me pagaram para escrever isto), meias de montanha, gel para as dores musculares, vitaminas para juntar à água (se a hidratação é importante num dia normal, escusado será dizer que numa aventura destas é fundamental), carregadores de telemóvel, powerbank, roupa (2 a 3 calções/calças, t-shirts, 2 camisolas mais quentes….)produtos de higiene e “papel higiénico”. O resto já tinha e confesso que não fui muito artilhado, até porque quantas mais coisas colocas na mochila, mais peso para as costas. Tentei simplificar e resultou bem.

 

Planeamento

Mala – É muito simples de fazer, basta pensarem bem no que vão precisar e alinhar esse pensamento com o peso que vão levar às costas, quanto mais coisas essenciais levarmos, mais fácil será percorrer os kms do caminho.

Caminho a fazer – Para quem parte do Porto, tem duas possibilidades: o Caminho da Costa, sempre junto ao mar e o Caminho Central. Eu optei por fazer o Caminho Central, a partir de Valença do Minho. Online, encontram vários mapas, prontos a serem descarregados para o telemóvel, de qualquer forma as setas amarelas estão durante o caminho todo.

Never!

 

Credencial

A credencial do Peregrino, é um espécie de passaporte que se pode obter facilmente (na net indica os locais). Para quem vai sair do Porto, pode ir à Sé Catedral, onde levantei a minha. Depois tem de fazer um mínimo de dois carimbos por cada “localidade” que passam, há kms mínimos a cumprir para se conseguir obter a Compostela na Oficina do Peregrino em Santiago.

Como foi o caminho?

Fizemos um total de 224km, pois partimos de Valença do Minho, para onde viajamos de comboio, desde o Porto. Neste primeiro dia estávamos completamente inebriados pelo entusiasmo, de tal forma que fizemos duas etapas seguidas, visto não termos encontrado local para pernoitar em Porrino. Paramos em Redondela, onde também não havia lugar disponível nos albergues, o que nos obrigou a reservar um hotel acessível via booking, perto de Vigo. No segundo dia, adivinhem quantas etapas fizemos? Exatamente: mais duas! Redondela – Pontevedra, e depois de Redondela – Caldas de Reis. No terceiro dia percorremos a etapa de Caldas de Reis até Padrón e no quarto dia chegamos a Santiago.

Todo o Caminho decorreu normalmente, mas confesso que esta ansiedade de percorrer mais quilómetros e de andar, andar, andar levou-nos precisamente a que quando chegávamos aos albergues já estavam cheios, o que não nos deu outra alternativa a não ser dormir em pensões e hotéis reservadas online naquele momento.

Marcos

Nos primeiros dias chegamos a caminhar cerca de 9 horas o que é, mesmo para mim que tenho uma boa preparação física, bastante cansativo. Mas tudo compensa pelas sensações que o Caminho te desperta. Conheci tantas pessoas, de diversos cantos do mundo, cada uma com as suas motivações, com as suas expetativas, mas todas elas com uma coisa em comum: um brilhozinho nos olhos, uma esperança em chegar ao fim desta aventura, desta descoberta e sentirem-se mais completos. E mesmo quando tudo está em silêncio, e vais mais recolhido, há sempre uma força, uma sensação de que não estás sozinho, de que és capaz, de que tudo vai correr bem.

Não se preocupem, ninguém se perde pelo caminho, há muita sinalização (sempre a amarelo), até chegarem ao destino.

Resumo das nossas etapas

Primeiro dia: Viagem de comboio até Valença, saímos do Porto no comboio das 8h30, no chamado Comboio Celta. A primeira etapa começou assim em Valença do Minho, num instante atravessamos até Tui e  seguimos até O Porrino, aí não conseguimos  dormida e seguimos mais uma etapa (doidos), até Redondela, onde foi impossível novamente arranjar dormida e fomos (obrigados) e após marcação no Booking a ir dormir Vigo,  para onde viajamos de Taxi.

Segundo dia: Voltamos a fazer duas etapas, devido à falta de dormida no final da primeira. Fizemos Redondela » Pontevedra, e depois de Redondela até Caldas de Reis, onde pernoitamos num Hotel.

Mais caminho…

Terceiro dia: Uma etapa, de Caldas de Reis até Pádron. Marcação do Hotel no Booking.

Quarto dia: última etapa, até Santiago. Marcação de dormida em Santiago de Compostela, através do AirnB.

O que comi?

Levei muitas barras de cereais e vitaminas para colocar na água, que ia comprando ao longo do Caminho. Todos os dias, bebia um Powerade, que facilmente comprava pelo caminho. Alimentava-me também com fruta e uma lata de atum, que colocava num pão para fazer uma sanduiche. Isto durante o dia, pois à noite, jantávamos num restaurante, com comida um pouco mais a sério, para auxiliar na recuperação.

Importante: Vão encontrar imensas amoras pelo caminho, que podem apanhar, sim também é possível ser um agricultor nómada pelo caminho 🙂 (lembrem-se de levar uma pequena caixa de plástico para lavarem a fruta) e encontram ainda maçãs pelo caminho, há muita gente a colocar caixas na beira do caminho.

 

Chegámos!

Chegar a Santiago de Compostela é um pretexto, um objetivo que esconde algo bem maior dentro de cada pessoa que se propõe a fazer este percurso. Aprendemos a estarmos bem connosco próprios e a dar valor a coisas que num dia comum nos passariam completamente ao lado. É uma verdadeira chamada de realidade, uma espécie de renascimento gratificante, uma segunda oportunidade para sermos mais e melhores.

Catedral de Padrón

Quase parece que o coração para quando te deparas com a Catedral e te deitas no chão na pedra quente, numa explosão de emoções. Chegámos!

 

 

Quem me conhece, bem sabe como sou aventureiro e não tenho medo do desconhecido e de novas experiências. E há tantas outras coisas que gostaria de fazer: viagem de Transiberiano, a caminhada até Fátima, correr a incrível maratona de Nova Iorque e subir ao topo do Kilimanjaro. São tudo coisas que pretendo fazer se a oportunidade surgir. Por isso, se alguém desse lado estiver a preparar algo parecido, não o deixem de fazer!. 🙂

Amanhecer em Caldas de Reis

 

PS: Rapazes, vão solteiros!. 🙂

Muffins de Mirtilos

As Estrelas do piquenique de hoje. 🙂

 

São muito simples e rápidos de fazer.

10m de preparação + 15m no forno e um aroma fenomenal pela casa.

 

Ingredientes:

  • 2 ovos
  • 100ml de claras
  • 250ml de bebida vegetal
  • 1 C. café de fermento e outra de bicarbonato
  • 1 C. sopa de proteína sabor blueberry
  • 50gr de farinha de côco
  • 150gr de farinha de aveia
  • 2 C. sopa de mel (não tinha outro adoçante…)
  • 2 C. sopa de óleo de côco
  • Cerca de 3 C. sopa de mirtilos congelados.

Preparação:

  • Bater os ovos e as claras;
  • Juntar os restantes líquidos até obter uma mistura homogénea;
  • De seguida, adicionar os ingredientes sólidos;
  • Pré-aquecer o forno por 5m a 200ºC;
  • Numa forma de queques/mufins, verter cerca de 3/4 do preparado em cada forma e juntar mirtilos a gosto;
  • Levar ao forno por 15m, reduzindo à temperatura de 150ºC.

Quantidade: 12.

Bom apetite!

Vai uma dúzia?

Bolo de Quinoa com recheio de Cacau/Abacate

Pensamos em fazer bolo e bem logo à cabeça a check-list de ingredientes para construir aquela delícia de chocolate pecaminosa, num jogo entre ovos, farinha e chocolate, que supostamente iriam tomar aquele lugar de destaque na receita, mas só que não.

Há mais elementos a jogo…

chocolate do pecado 🙂

Bolo de quinoa e abacateEste bolo não tem:

  • farinha
  • chocolate
  • ovos
  • açucar
  • óleo

E nem é necessário…há muitas formas de fazer um bolo (sem pecar)!

Como tal, inspirado numa receita que encontrei num scroll down no Facebook, fica aqui mais uma saborosa sugestão sem os habituais ingredientes e para comer sem culpa. 🙂

Esta é daquelas receitas ideias para quem procura uma alternativa no seu estado mais puro e nutritivo.

Ingredientes:

Para o bolo

  • 250g de quinoa
  • 500ml de água
  • 4 CS de cacau
  • 1 CS de Chia
  • 1 CS de sementes de abóbora
  • 1 CS de fermento
  • sal qb
  • 5 CS de syrup, sabor a chocolate
  • 1 CS de baunilha
  • 185g de tâmaras sem caroço

Para o creme de abacate/cacau

  • 3 CS de syrup, sabor a chocolate
  • 4 CS de cacau
  • 3 CS de óleo de côco
  • 2 abacates (maduros)

Preparação:

Do bolo

  • Mergulhar a quinoa em água fria durante 30m, retirar e deixar secar durante 3h ou uma noite;
  • Num copo misturador, colocar toda a quinoa à velocidade máxima por 1m e assim partir os “grãos”;
  • Após estes passo simplesmente adicionar os restantes ingredientes e deixar a mexer até obter uma mistura super cremosa;
  • Em duas formas redondas de cerca de 20cm de diâmetro, verter em cada, metade do preparado e levar ao forno por 45m à temperatura de 170º.
  • Nota: Coloquei papel vegetal na forma.

Do creme

Simplesmente misturar todos os ingredientes.

Finalizar:

  1. desenformar;
  2. na parte superior de uma metade, cobrir com cerca de 3 CS do creme;
  3. colocar a 2ª metade do bolo;
  4. decorar com o restante creme e frutas a gosto.

 

Bom Apetite Fit Foodies. 🙂

IMG_1336

Receita Original: http://www.nestandglow.com/healthy-recipes/quinoa-avocado-chocolate-fudge-cake

 

Bolachinhas de Aveia e Café

Uma nova sugestão para o lanche.

Desta vez com bolachinhas de aveia para degustar com o expresso a meio da manhã, garante mais um pouco de energia.

Receita simples e saborosa

Já há muito tempo que não fazia bolachas, pelo que hoje foi dia de aproveitar que o forno estava ligado para preparar alternativas para os lanches desta semana.

Ingredientes:

  • 2 ovos;
  • 100ml de bebida de origem vegetal;
  • 30grs de farinha integral;
  • 1 CSopa de mel;
  • 140grs de aveia;
  • 1 Scoop de whey proteína (usei com sabor cheese cake de limão);
  • 1 Csb de canela;
  • 2 Csopa de café solúvel;
  • Chia qb.

Preparação:

  1. Bater os ovos e juntar a bebida vegetal.
  2. De seguida, juntar todos os ingredientes.
  3. Num tabuleiro (forrado com papel vegetal), colocar em forma de uma bolacha redonda com a ajuda de uma colher.
  4. Levar ao forno pré-aquecido a 150º C, durante cerca de 12/13 minutos.
  5. Retirar e polvilhar com canela.

Está aberta a época das encomendas. 🙂

Apple(gasm) Pancakes

Olá fit foodies! 🙂

 

Apenas com 2 + 1 ingredientes

 

Esta é daquelas receitas super fáceis, sem o monstro “farinha” e sem leite (mesmo daquelas bebidas vegetais). Só leva três ingredientes e ainda nos dá aquela força extra para mais uma entrada no Ginásio – may the force be with you!

A quantidade usada deu para cerca de 18 mini panquecas, e ao descobrir esta deliciosa mistura, decidi experimentar cozinhar de duas formas, assim metade foram para o forno e a outra metade para a frigideira, deixo a escolha ao vosso critério, mas uma coisa é certa, ficam super apetitosas.

Vamos lá transformar esse pequeno almoço?

 

Ingredientes:

4 maças, 2 ovos e 1 scoop de proteína

E é só isto!

Agora misturem tudo e levam pequenas colheradas à frigideira (anti-aderente) ou forno. No forno, previamente aquecido, coloquei uma folha de papel vegetal num tabuleiro durante 15m à temperatura de 150º.

 

 

Experimentem e comentem. Qualquer dúvida, falem comigo pelo instagram ou enviem-me um email para fitman.motivation@gmail.com

Bom apetite e uns óptimos treinos!

Nota: Em breve mais sugestões, sem farinha ou leite.

 

Salteado de seitan e beringela

Olá fit foodies! 🙂

O seitan, glúten, ou ainda carne vegetal, como também é conhecido, é muito utilizado na culinária vegetariana e é um ótimo substituto da carne, pelo aspecto, textura e sabor semelhantes. Pode ser grelhado, cozido, empanado, assado, ou usado como recheio de tortas, lasanhas, empadas, etc. (fonte: http://www.cantinhovegetariano.com.br/2007/05/o-que-e-seitan-ou-gluten.html )

Não sou vegetariano, mas um grande adepto destas delícias,  pelo que hoje decidi preparar um salteado de seitan  delicioso e preparado de uma forma muito simples e fácil.

Ingredientes:

  • 500gr de “carne de glúten”, vulgo seitan;
  • 8 tomates cherry;
  • 1 beringela;
  • azeite qb;
  • água qb;
  • 1 limão;
  • Caril.

Como preparar?

  1. Cortar o seitan aos cubos e temperar com sumo de 1 limão;
  2. Retirar a carne da beringela (com cuidado), e levar ao forno as duas metades da beringela para poder assar e a seguir levar o salteado; o miolo da beringela será para cortar às tirinhas;
  3. Entretanto numa wok, deitar um fio de azeite, juntar os tomates partidos em 4 e deixar refogar;
  4. Assim que os tomates começarem a ficar cozidos, juntar um copo de água e assim que levantar fervura juntar o seitan;
  5. Após 5 minutos, temperar com caril e juntar o miolo da beringela;
  6. Deixar cozinhar durante 20m em lume mínimo.
  7. Assim que as metades de beringela estiverem assadas rechear e server.

Número de doses: 2

 

Partilhem e vejam mais receitas no instagram com a hashtag: #vegetarianotuga

Bom apetite!

 

 

Receitas com Farinha 3 Ás

Olá fit foodies! 🙂

Há algum tempo publiquei no meu instagram duas fotos de pratos preparados com esta farinha.

A farinha que utilizei é da marca Pró-vida e resulta de uma mistura de Farinha de Alfarroba, Araruta e de Arroz. Encontrei à venda nas lojas Celeiro.

As duas receitas que preparei são mais indicadas para o pequeno-almoço, mas não me parece nada mal utilizar noutras alturas do dia. Por exemplo, os bolinhos ficam óptimos no lanche da tarde com um pouco de compota.

Vamos às receitas?

Panquecas

Estas panquecas foram preparadas no forno em formas de silicone.

Ingredientes:

  • 200ml de bebida de arroz (podem usar uma outra bebida vegetal);
  • 200gr de Farinha 3 Ás;
  • 1 ovo;
  • 1 c.café de sementes de linhaça;
  • 1/4 de maça verde.

Como preparar?

  1. Misturar o ovo com a bebida vegetal;
  2. Juntar os restantes ingredientes;
  3. Levar às formas;
  4. Entretanto, cortar a maça às rodelas, colocar em cima da massa e polvilhar com canela;
  5. Levar ao forno por 15m à temperatura de 150º.

 

Bolinhos

Também eles preparados no forno, em formas de alumínio.

Ingredientes:

  • 2 ovos;
  • 100ml de claras;
  • 1 scoop de Despertar do Buda;
  • 1 c.café de fermento;
  • 200gr de Farinha 3 Ás, integral e de aveia (aproveitei os restos que tinha cá por casa);
  • 200ml de bebida de amêndoa;
  • Mistura de frutos vermelhos.

Como preparar?

  1. Misturar todos os ingredientes líquidos;
  2. Juntar a linhaça, mexer com uma colher e deixar repousar por 1 hora (vai ajudar a hidratar a linhaça e assim beneficiar das propriedades desta);
  3. Adicionar os restantes ingredientes ao preparado anterior e juntar os frutos vermelhos aos pedaços;
  4. Verter a mistura nas formas;
  5. Levar ao forno por 20m à temperatura de 150º.

Bom apetite! 🙂

 

 

Bacalhau com maça verde

Olá fit foodies 🙂

Pratos com fruta?

Sim, hoje trago-vos uma nova experiência de sabores para almoçar ou jantar! É mais uma daquelas misturas improváveis, mas que resultam, principalmente naquelas semanas em que não apetece fazer uma visita ao supermercado e o truque está em aproveitar o que está distribuído entre o congelador, prateleiras e cantinho dos temperos.

Vamos por partes?

Os ingredientes:

  • Maça verde;
  • Posta de bacalhau;
  • 3 cenouras bebé;;
  • 1 beringela;
  • Pimenta rosa;
  • Canela;
  • Mel;
  • Compota de figo e laranja.

Como preparar?

O Bacalhau:

  • Cozer uma posta de bacalhau média;
  • Esfiapar o bacalhau e misturar com pimenta rosa;
  • Colocar num recipiente, onde previamente devem estar duas colheres (de chá) com a compota.

Com a Maça “recheada”:

  • Cozer a beringela aos cubos;
  • Saltar a beringela com raspas de cenoura, temperadas com mel e canela;
  • Triturar a misturar anterior, até obter um puré e reservar;
  • Fatiar a maça;
  • Depois é só colocar no prato às camadas (maça e puré).

Conselho: Colocar o puré ainda quente no prato, para uma melhor experiência na mistura de sabores com a maça verde. 🙂

 

Bom apetite!

 

 

 

Waffles de côco…e farelo de trigo

Esta é sem dúvida, a semana dos waffles cá por casa (terceira vez). Admito, é a vontade de experimentar a nova maquineta!

No início desta semana, em mais uma deslocação ao supermercado (Lidl – naquele maravilhoso corredor central), encontrei uma máquina 3em1 (torradeira, sandwich e waffles), onde é só trocar as placas e garante estas 3 finalidade (Preço > 19,90€). 🙂

As outras duas receitas, não as registei e fiz um pouco a olho, a primeira correu bem, a segunda menos bem e ficou pouco consistente, e porque estudar precisa sempre de um intervalo (daqueles a sério), hoje decidi preparar um lanche…de waffles com as farinhas que há por casa. 🙂

Nesta receita, usei farinha de côco, farelo de trigo e uma coisinha boa para lhe dar sabor, o Brigadeiro Fit da Bacuri que comprei no Food & Health Alameda Market, a decorrer no Alameda Shopping.

 

Ingredientes:

  • 3 ovos;
  • 1 C.café (sejam generosos) de Brigadeiro Fit;
  • 3 C.sopa de farinha de côco;
  • 1 C.sopa de farelo de trigo;
  • 1/4 C.café de bicarbonato de sódio;
  • 150ml de leite de soja;
  • Borrifadela de Azeite.
Ingredientes
Ingredientes

Preparação:

  1. Bater os ovos, juntar o leite e o brigadeiro;
  2. Num outro recipiente, misturar bem os restantes ingredientes com uma colher;
  3. Por fim misturar os dois preparados;
  4. Ligar a máquina de waffles e deixar aquecer por cerca de 2/3m (garantir que as placas ficam bem quentes);
  5. Colocar a quantidade suficiente para tapar as saliências da máquina;
  6. Deixar cozinhar por 2 minutos, até que a massa descole completamente das placas;
  7. Retirar e colocar a imaginação no prato. 🙂
Máquina de Waffles
Máquina de Waffles

 

Este receita deu para 4 unidades de waffles.

 

Bom apetite e espero que gostem!